Imunodeficiência Comum Variável

A Imunodeficiência Comum Variável (ICV) é um tipo de imunodeficiência primária que pode acometer crianças e adultos. Os pacientes podem apresentar pneumonias, infecções de ouvido e sinusites de repetição e os exames laboratoriais vão acusar diminuição na quantidade de imunoglobulinas e também alteração na qualidade dos anticorpos.

 

O que é ICV?

A ICV é uma imunodeficiência primária, ou seja, o paciente nasce com genes que predispõe a um problema na imunidade. Não é uma doença adquirida ao longo da vida, e dessa forma, também não pode ser transmitida.

Tanto crianças quanto adultos podem apresentar essa imunodeficiência, sendo que ela ocorre em 2 idades principais: entre os 6 – 10 anos e entre os 20 – 45 anos. Estima-se que a doença afete 1 em cada 25.000 pessoas.

 

Sintomas

Os sintomas mais prevalentes são infecções de repetição das vias aéreas respiratórias, como:

  • Pneumonias
  • Otites (infecções de ouvido)
  • Sinusite

Outros sintomas podem ocorrer, como diarréia crônica (que dura mais de 1 mês), abscessos, infecções virais graves, parasitoses intestinais.

Os pacientes com ICV podem apresentar também manifestações auto-imunes, como alterações hepáticas, de tireóide ou na pele, e granulomas pulmonares.

 

Diagnóstico

O diagnóstico deve ser suspeitado em crianças ou adultos que estão utilizando antibiótico frequente ou que necessitaram de internação devido a infecção grave. Assim, se seu filho apresentou mais de 2 pneumonias ou mais de 5 otites ou sinusites no último ano e/ou ficou internado por conta de infecção grave vale a pena a consulta com imunologista para uma avaliação completa.

Se você, adulto, apresentou 1 pneumonia e/ou mais de 4 otites ou sinusites no último ano também procure um especialista.

O imunologista vai solicitar exames para avaliar sua imunidade, entre eles a dosagem das imunoglobulinas (existem três tipos relacionados a imunidade: A, G e M). Em geral, na ICV o que vemos é uma diminuição na quantidade e na qualidade dessas imunoglobulinas, especialmente a Imunoglobulina G (IgG).

Ainda, é possível solicitar exames genéticos para avaliar qual o tipo de mutação que está causando a imunodeficiência.

 

Tratamento

Não existe cura para ICV, porém existe tratamentos que permitem ao paciente ter menos infecções e melhor qualidade de vida.

O tratamento consiste na reposição com imunoglobulina humana, um imunobiológico especial, que pode ser administrado por via endovenosa ou subcutânea. A medicação tem duração de 21 a 28 dias e assim, deve ser administrada 1 vez por mês.

A imunoglobulina é adquirida através da doação de sangue, e após um processo cuidado de armazenamento e filtração, é possível isolar do sangue apenas a IgG.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s