Dermatite de Contato e Patch Teste

O Patch Teste, também chamado de Teste de Contato, é o melhor exame para realizar o diagnóstico de Dermatite de Contato. Esse tipo de alergia se caracteriza pelo aparecimento de lesões avermelhadas e com vesículas nos locais que entraram em contato com a substância suspeita.

 

Dermatite de Contato

A dermatite de contato é uma doença universal, que pode acontecer em todas as idades e raças, porém sua incidência é menor na infância pela menor exposição às substâncias nessa faixa etária.

A dermatite de contato é uma forma de alergia a uma substância exógena que em contato com a pele leva ao surgimento de eczema (lesões inflamatórias avermelhadas, com escoriações, feridas, vesículas) que causam coceira e/ou ardor.

Esse tipo de reação acontece após repetidas exposições ao produto, raramente acontece na primeira exposição, já que é uma reação do organismo da pessoa contra aquela substância. Essa reação pode demorar dias a anos para acontecer, dependendo da imunidade de cada um.

O mais característico é o aparecimento do eczema no local do contato, por exemplo: nas orelhas ou dedos em quem tem alergia a bijuteria (níquel), no pé em quem tem alergia a borracha e nas mãos em quem tem alergia a produtos de limpeza ou luvas.

DC1
Eczema no local de contato com borracha

Ainda, existem substâncias que dão alergia apenas após a exposição solar, como plantas, anti-inflamatório tópico e anti-histamínico tópico.

Principais substâncias que causam dermatite de contato:

  • Bijuterias (níquel)
  • Perfumes
  • Cosméticos
  • Corantes de tecidos e roupas
  • Borracha
  • Tintura de cabelo
  • Conservantes de produtos de higiene pessoal, medicamentos e cosméticos
  • Antibióticos tópicos

 

Patch Teste (Teste de Contato)

Na suspeita de dermatite de contato, o exame padrão ouro para descobrir o que causa alergia é o Patch Teste ou Teste de Contato. Consiste na colocação de várias substâncias dentro de pequenas câmeras que serão grudadas à pele do paciente com fitas. O mais comum é colocar essas câmeras no dorso (costas) do paciente, por ser uma área grande.

As substâncias ficam 48 horas em contato com a pele. Após esse período, elas são retiradas e uma primeira leitura é realizada. Para confirmar se houve ou não reação deve ser feita uma segunda leitura após 24h a 48h da primeira avaliação.

No Brasil, temos disponível para teste a bateria padrão, que consiste em 30 substâncias, que são aquelas que mais frequentemente causam alergia. Ainda, existem outras baterias mais específicas, como a bateria regional, para corticóides, anti-inflamatórios, alimentos, série capilar (produtos de cabelo), série pediátrica, cosméticos e unhas. As baterias adicionais podem ser realizadas de acordo com a reação que a pessoa apresenta.

patch1
Patch Teste ou Teste de Contato

Quando é melhor adiar o teste?

  • Exposição solar excessiva
  • Uso de corticóide tópico (pomada) no local onde serão colocadas as substâncias
  • Uso de medicações que diminuem a imunidade por longos períodos
  • Uso de corticóide oral ou corticóide de depósito (intramuscular)
  • Dermatite grave: é aconselhável esperar a melhora das lesões para realizar o teste

Recomendações durante o teste:

  • Evitar atividade física
  • Evitar molhar o local em que as substâncias foram colocadas

Existe idade mínima ou máxima para realizar o teste?

Não! Bebês e idosos também podem realizar o teste de contato.

É possível realizar o Teste de Contato com produtos do próprio paciente?

Sim, quando os testes convencionais não incluem a substância suspeita é possível utilizar o produto em si. Converse com o seu Alergista para saber mais a respeito.

Anti-alérgico (anti-histamínico) atrapalha no exame?

Não! O uso de anti-histamínico não altera o resultado do Teste de Contato.

 

Tratamento

A primeira parte do tratamento consiste em melhorar o eczema, que incluem hidratantes hipoalergênicos, pomadas de corticóide ou inibidores de calcineurina.

A segunda parte do tratamento é evitar a substância que causa alergia. É recomendável ler a composição dos produtos para ter certeza que o mesmo não contém a substância que causa alergia.

O acompanhamento das lesões com alergista ou dermatologista é fundamental para diagnóstico e tratamento correto.

 

Fonte:

  • Sociedade Brasileira de Dermatologia
  • Tratado de Alergia e Imunologia Clínica
  • EAACI position paper for practical patch testing in allergic contact dermatitis in children. Pediatric Allergy and Immunology 26(7):598 – 606, 2015

 

Foto:

  • Asacpharma IPI Brasil

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s