Pronto Socorro: quando realmente devo levar meu filho?

Pronto Socorro (PS): pra que serve?

O Pronto Socorro tem o intuito de atender urgências e emergências, ou seja, doenças agudas graves ou doenças crônicas agudizadas que podem causar sequelas ou até mesmo óbito.

As principais queixas no Pronto Socorro Infantil são sintomas respiratórios e traumas (quedas, cortes). Nas crianças pequenas, os sintomas respiratórios são causados principalmente por infecções virais e/ou bacterianas.

No entanto, o que vemos atualmente nos Pronto Socorros são consultas para sintomas que não se enquadram em urgências ou emergências. Muitos pais acreditam que o atendimento será mais rápido e efetivo, porém quase sempre isso não é verdade.

Procurar o PS imediatamente se:

  • Falta de ar, dificuldade para respirar
  • Crise de asma sem melhora com medicamento domiciliar
  • Manchas vermelhas pelo corpo
  • Criança prostrada e abatida quando está SEM febre
  • Febre há mais de 72 horas ou febre maior que 39°
  • Vômitos seguidos que não cessam com medicação oral
  • Intoxicação por medicamentos ou drogas
  • Trauma
  • Convulsão
  • Dor que não melhora com analgésicos orais

 

Lembre-se antes de ir ao PS:

  1. Se o seu filho NÃO apresenta os sintomas acima, converse com o seu Pediatra antes de correr ao Pronto Socorro. Ele pode te orientar e avaliar a criança no consultório.
  2. Por ser um local que concentra pessoas doentes, existe o risco de exposição a outros vírus e bactérias. Assim, se possível, leve apenas a criança que está doente e deixe os irmãos em casa.
  3. O Pediatra do Pronto Socorro em geral vai pecar pelo excesso, pois o mesmo não conhece todo o histórico da criança e está vendo ela em um único momento.
  4. Os plantonistas do Pronto Socorro mudam a cada período, assim pode ser que o Pediatra que o atendeu não seja o mesmo que reavalie
  5. Prepara-se para esperar. A ordem de atendimento no Pronto Socorro é definido através da gravidade dos sintomas e a ordem de chegada. Pode acontecer de um paciente que chegou depois de você ter o atendimento priorizado por ter sintomas mais graves.
  6. Se o seu filho apresenta febre não há necessidade de esperar a avaliação médica para medicar com antitérmico. Medique a febre assim que constatada, já que a febre em si altera o exame físico da criança
  7. Pronto Socorro não é o local para realizar exames de rotina

 

Dados importantes que devem ser relatados no PS:

  • Se o seu filho apresenta febre é importante aferir a temperatura com termômetro e observar de quanto em quanto tempo ela volta
  • Se o seu filho tem alguma doença crônica e se usa medicação contínua
  • Alergias prévias ou atuais
  • Se as vacinas estão em dia ou não

 

Durante o atendimento no PS:

  • Tire todas as suas dúvidas, não hesite em perguntar ao médico o por quê do exame e das medicações.
  • Converse com o seu filho: explique o que será feito e passe tranquilidade a ele.

Após o atendimento, avise e repasse as informações ao seu pediatra.

 

Aonde acompanhar a saúde do meu filho?

Com o pediatra de rotina, realizando consultas periódicas, a chamada puericultura.

A Sociedade Brasileira de Pediatria orienta que as consultas de puericultura devem ser feitas em idades chaves, mesmo que a criança não esteja doente, pois a consulta periódica de seu filho sadio evita doenças.

Além disso, o ideal é que o mesmo pediatra avalie o seu filho quando ele tiver uma doença aguda. O pronto socorro funciona com escalas de plantonistas, ou seja, cada dia é um médico diferente que atende, sendo que reavaliações provavelmente serão feitas por diferentes médicos.

Ao procurar o PS avise o seu pediatra, para que ele possa acompanhar a evolução dos sintomas, além de orientá-lo sobre medicamentos, sintomas graves e possíveis complicações.

A Organização Mundial da Saúde recomenda consultas de rotina com Pediatra:

  • Até 6 meses de idade, consulta mensal
  • 6 meses a 1 ano a cada 2 meses
  • 1 a 2 anos a cada 2 meses
  • 2 a 3 anos a cada 3 meses
  • 3 a 5 anos a cada 6 meses
  • 5 a 13 anos a cada ano

 

 

Fonte: 

  • Overview of Children in the Emergency Department, 2010. Statistical Brief #157. Lauren M Wier, MPH, Hao Yu, PhD, Pamela L Owens, PhD, and Raynard Washington, PhD, MPH. Junho 2013.
  • A perigosa cultura do Pronto Socorro. Sociedade Brasileira de Pediatria

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s