Alimentos sólidos: como introduzi-los na dieta do seu filho

A alimentação complementar é a introdução de outros alimentos para bebês que estão em aleitamento materno ou em uso de fórmula infantil.

Conforme a criança se desenvolve, esta adquire capacidades motoras e perde certos reflexos do nascimento, o que indica que ela está apta a receber outros alimentos além do leite. Até os 6 meses de vida, o leite materno é o alimento ideal do ponto de vista nutricional, emocional e estímulo motor. A partir dessa idade, outros alimentos devem ser acrescentados a dieta devido a necessidade nutricional e também pelo momento propício do desenvolvimento motor e sensorial da criança.

Todas as crianças saudáveis têm a capacidade de regular a sua alimentação, desde o nascimento. Cada recém-nascido decide o momento de iniciar a mamada, a velocidade e quantidade de leite a ser sugado e quando parar. É raro que a mãe consiga que o bebê mame mais se o mesmo se sente saciado. Entender esses momentos da criança é importante para o sucesso da amamentação, da alimentação complementar e de hábitos saudáveis alimentares até a vida adulta.

A recomendação da Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde (MS) é que a alimentação complementar inicie por volta dos 6 meses de idade.

Como ofertar o alimento conforme orientação da SBP, OMS e MS?

  • A consistência deve ser gradual e de forma crescente: pastoso, papas e pedaços; aumentando gradativamente a consistência até chegar no alimento inteiro
  • A partir dos 8 meses, os alimentos podem ser triturados e cortados em pedaços pequenos
  • Aos 12 meses, os bebês estão aptos a receber alimentos sem preparo (semelhante à da família)
  • Sempre oferecer os grupos alimentares principais para compor a Papa:
    • Cereais/Tubérculos
    • Proteínas animais
    • Hortaliças
    • Leguminosas (grãos)
    • Folhas verdes
cópia de Alimentos complementares
Grupos alimentares a serem incluídos na Papa
  • Os alimentos podem ser cozidos juntos de forma a deixá-los macios. Devem ser amassados formando um purê grosso e consistente
  • Não peneirar ou passar no liquidificador
  • Oferecer os alimentos com colher
  • Usar pouco tempero e sempre temperos naturais (alho, cebola, salsinha). Não utilizar temperos artificiais
  • Adicionar uma colher de chá de óleo vegetal (óleo de milho, girassol, canola ou azeite de oliva) na papa já pronta
  • Evite sopas e sucos, pois seu aporte calórico é baixo para as necessidades do bebê

Dicas na introdução da alimentação complementar:

  • Sempre respeite o ritmo da criança: às vezes pode parecer que ela não está comendo a quantidade adequada, porém os bebês desde o nascimento aprendem a auto-regular sua alimentação e isso mantém-se conforme crescem. Assim, respeite os sinais de fome e de saciedade da criança.
  • Ofereça várias vezes os alimentos e com variedade: crianças pequenas tendem a gostar dos alimentos que são oferecidos com frequencia e passam a gostar dos alimentos conforme lhe foram oferecidos da primeira vez. Por isso, evite alimentos muito doce ou salgado.
  • Incentive a criança a comer nos horários de refeições da família
  • Mantenha uma rotina nas alimentações, mantendo intervalos regulares
  • O aleitamento materno deve ser mantido: alguns momentos das mamadas serão substituídos pelos alimentos complementares, porém ainda assim, o leite materno é necessário e importante

 

Armazenamento das Papas

É possível armazenar as papas para facilitar a rotina de vida da família. Entretanto, atente-se para higienização no preparo e variedade na composição.

Tempo de Armazenamento:

  • 24 horas na geladeira
  • 15 dias no congelador da geladeira
  • 3 meses no frizzer

 

O que é BLW?

BLW é o Baby Led Weaning, que significa desmame guiado pelo bebê. Idealizada pela britânica Gill Rapley, o método defende a oferta de alimentos em tiras, pedaços ou bastões, sem a necessidade do uso de colher ou algum preparo do alimento (amassar, triturar ou desfiar). Esta abordagem desafia os pais a confiarem na habilidade inata do bebê de se auto alimentar.

Algumas considerações são ressaltadas pela autora:

  • Continuar com o leite materno ou fórmula infantil
  • Alimentos in natura
  • Posicionar o bebê sempre sentado na hora da alimentação
  • Oferecer variedade de alimentos
  • Interagir durante as refeições
  • Dar o tempo necessário a refeição sem pressionar

Ainda existem muitos questionamentos em relação a essa técnica, por isso um grupo de estudiosos da Nova Zelândia ressaltam:

  • Oferecer alimentos cortados em pedaços grandes, que o bebê consiga pegar
  • Ofereça de forma que não provoque engasgos, evitando formatos redondos ou em moeda
  • A criança deve ser supervisionada por um adulto durante todo o período da alimentação
  • Fornecer alimentos ricos em ferro e calóricos em cada refeição

 

É um método que não é recomendado oficialmente pelas Sociedades Pediátricas do Canadá e Estados Unidos.

A Sociedade Brasileira de Pediatria publicou em Maio de 2017 um Guia Prático de Atualização no assunto, concluindo que “Não há evidências e trabalhos publicados em quantidade e qualidade suficientes para afirmar que os métodos BLW ou BLISS sejam as únicas formas corretas de introdução alimentar. As orientações fornecidas pelos autores são coerentes com o desenvolvimento infantil, mas, limitar um processo complexo a uma única abordagem pode não ser factível para muitas famílias, e, portanto, não pode ser endossado – como forma única de alimentação infantil – pelo Departamento de Nutrologia da SBP. ”

 

Considerações Finais

Independente da técnica escolhida para introdução dos alimentos complementares, o importante é que os pais reconheçam em seus filhos a capacidade de se alimentar, sendo com ou sem colher. Também, ressaltamos que o momento da refeição é importante para o desenvolvimento sensório e motor da criança, sendo assim, muita paciência, pois é um momento de aprendizado e lembre-se: comer junto e não dar de comer.

Converse com seu pediatra. O melhor método é aquele que mantém o aporte nutricional adequado e estimula o desenvolvimento da criança dentro dos limites e possibilidades de cada família.

 

Fonte: “A Alimentação Complementar e o Método BLW – Baby-Led Weaning” – Sociedade Brasileira de Pediatria / “Guia Alimentar para Crianças menores de 2 Anos” – Ministério da Saúde 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s