Febre: e agora?

O que é febre?


A febre é a elevação da temperatura corporal acima do valor de normalidade (maior igual a 37,8°), que pode ocorrer devido a diversos fatores: infecção, inflamação, tumor, entre outros. Nas crianças, a causa mais comum é infecção.

Em vigência da febre, as crianças podem  apresentar coração acelerado, respiração mais ofegante e ficam prostradas. Entretanto, sabemos que a febre é uma das medidas que o corpo toma para combater os microorganismos que estão nos infectando. Por isso, a febre deve ser medicada se a temperatura estiver acima de 37,8 graus. O estado “subfebril” (entre 37 e 37,7) não deve ser medicado, mas observado e acompanhado, pois nem sempre a temperatura se elevará.

Por ser um dos primeiros sinais de infecção, é comum ela aparecer em crianças sem nenhum outro sintoma, como tosse, coriza, diarréia. É por conta disso que orientamos ida ao pronto-socorro caso a febre permaneça por mais de 48 horas, pois em geral nos primeiros dias da infecção ainda não existem alterações no exame físico ou laboratoriais que possam ajudar no diagnóstico.

Claro que se a criança apresentar algum sinal de alarme para doença mais grave, não espere, procure o pronto-socorro na mesma hora.

Quais seriam esses sinais?

  • falta de ar
  • sonolência intensa ou hipoatividade
  • manchas vermelhas no corpo
  • vômitos persistentes
Fonte: revistasaude.uol.com.br

E a febre pode causar alguma complicação para a criança?

A febre em si é um mal estar, por isso a necessidade de medicar com anti-térmicos. Existe também uma pequena chance de convulsão, a chamada convulsão febril.

A convulsão febril ocorre principalmente em crianças pequenas até os 5 anos de idade, e sua incidência é de cerca de 4%. Ela tem caráter benigno, ou seja, raramente evolui para epilepsia ou para lesões no cérebro. Ela acontece devido ao baixo limiar do córtex cerebral em desenvolvimento, por isso é um fenômeno da infância e tende a melhorar conforme a criança cresce. Também, sabemos que a elevação rápida da temperatura é um dos fatores que podem ocasioná-la, e não necessariamente a temperatura elevada.

Dicas:

  • sempre faça aferição da febre com termômetro, de preferência digital: para o médico faz diferença saber se a febre foi de 37,8 ou 39 graus
  • não esperar chegar ao pronto-socorro para medicar! Medique em casa assim que confirmado a temperatura acima de 37,8. A febre altera o exame físico e consequentemente a avaliação do médico
  • intercale os anti-térmicos caso a febre apareça antes de 6 horas da última medicação
  • durante a febre não há necessidade de agasalhar a criança, priorize roupas leves para que ajude a baixar a temperatura
  • banhos também podem ser utilizados para diminuir a temperatura, mas nunca gelados! O ideal é na temperatura ambiente
  • lembre-se de manter a criança hidratada

 

captura-de-tela-2017-01-02-as-18-55-12

 

ATENÇÃO:

Se seu bebê tem menos de 3 meses e apresenta temperatura maior igual a 37,8, desagasalhe-o um pouco, meça de novo a febre após 30 minutos. Se a temperatura persistir procurar seu pediatra ou um pronto-socorro o mais rápido possível logo no primeiro pico, não aguardar as 48 horas.

 
Alguma dúvida? Escreva para gente nos comentários abaixo!

Fonte: J. Pediatr. (Rio J.) vol.78  suppl.1 Porto Alegre July/Aug. 2002

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s